FAZER A MALA

As férias são supostamente, e como o próprio termo indica, para estar sem preocupações de nenhuma ordem, o que não combina com passar as manhãs a olhar para a nossa mala de viagem, (como fazemos de manhã para o roupeiro), a pensar que não temos nada para vestir. O “segredo” é apostar em peças que sejam versáteis, em tons fáceis de conjugar entre si, para levar o menos possível. 

Como em tudo, há que começar pela base e por isso antes de pensar nas "1001" peças de roupa que vamos precisar de empacotar, há que ter resposta para perguntas muito simples, como: Para onde vou? Quanto tempo? O que vou fazer? Por experiência, e sobretudo se for para fora de Portugal, também convém espreitar a previsão do tempo para o local em questão. Depois, e só depois, de termos estas respostas é que podemos e devemos, efectivamente, passar à acção. 

Por norma usamos dois looks por dia. Um para o dia- praia, passear ou afins e outro, “mais arrumadinho”, para eventualmente ir jantar ou sair. Levar conjuntos já feitos de casa vai-nos impedir de levar “500kg” de roupa, assim como nos vai ajudar a não perder horas a decidir o que vestir. A minha sugestão são as peças simples e básicas e, no caso feminino, acessórios (porque são pequenos e fazem logo toda a diferença). De fora da equação devem ficar peças que amarrotem facilmente e que só aceitem um tipo de combinação, assim como os “talvez vou usar”. Os “talvez” aqui, e neste caso, são 99% das vezes iguais a “não vou usar”. 

Fazer uma lista de tudo é sempre a melhor opção assim como o ideal é fazê-la com dois ou três dias de antecedência para ir pensando no assunto e nada falhar. Se, e no final, tiverem que "estar aos saltos" para fecharem a mala para estas férias, é muito provável que estejam na iminência de levar coisas a mais que, seguramente, não vão usar...

PH:Gabriel Crismariu

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top