ITENS BÁSICOS E INTEMPORAIS- A CAMISA BRANCA


Remontam ao Antigo Egipto aquelas que são as primeiras referências a este clássico intemporal, de presença obrigatória, em qualquer guarda- roupa que visite, num processo de Consultoria de Imagem, seja ele masculino ou feminino.

Muito interessante saber que por altura do Império Romano, esta era uma peça usada com cintos e considerada “roupa de baixo”, como as actuais camisolas interiores ou seja, não era suposto estar à mostra. Foi apenas no século XIX que a camisa branca “saltou cá para fora” e ganhou toda uma nova conotação, já que tanto a brancura como a qualidade do tecido era vista como símbolo de status. 

O século XX foi dos mais importantes para este item básico e intemporal de guarda- roupa conquistar aquele que é ainda hoje o seu lugar, já que, nos EUA, ganhou adeptas entre as mulheres, que a usavam muito com saias rodadas, ao mesmo tempo que Coco Chanel, com o seu gosto marcado por roupa considerada masculina (na altura), a eternizou. 

Sendo uma das peças que mais se têm reinventado ao longo de toda a história da moda, de tão básica torna-se das mais versáteis dado que se consegue conjugar com praticamente tudo. Mais ou menos cintada (pessoalmente prefiro as menos), com ela não há erro, e é sempre uma aposta segura. De looks mais profissionais a menos formais, é ideal para ser a primeira escolha, em dias de pouca imaginação, e perfeita para nos remeter ao imaginário colectivo, relembrando Marilyn Monroe, que a conjugava com skinny jeans e sabrinas, ou Audrey Hepburn que a usava de lenço ao pescoço.

Ph: Muji Primavera- Verão 2019

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top